IT’S-A ME | CAPPY: o chapéu animado de Super Mario Odyssey

Seja como um elemento estético característico de Mario ou personificado em uma nova mecânica, Cappy chegou para revolucionar a franquia do bigodudo e estabelecer novos padrões para o gênero de plataforma. Ele é versátil, carismático e vai te conquistar ainda mais em Super Mario Odyssey.

A mais recente aventura inova mecanicamente, mas com o bom e velho carisma do bigodudo e seu chapéu.
A mais recente aventura inova mecanicamente, mas com o bom e velho carisma do bigodudo e seu chapéu.

Um chapéu feito sob encomenda

Desde que era protagonista dos arcades de Donkey Kong, Mario (ou Jumpman, como era conhecido na época) leva consigo símbolos que foram eternizados como parte integrante de seu visual e se tornaram características únicas do mascote da Nintendo: o bigode, as roupas — popularmente conhecidas como macacão — e o chapéu. O bigode de Mario, inicialmente “tingido” de azul por conta das limitações do hardware da época, ganhou a cor preta apenas em Super Mario Bros. 3. Seu macacão também mudou, ganhando a inversão das cores azul e vermelho na versão americana de Super Mario Bros. 2. Mas e o chapéu?

O chapéu de Mario sempre foi vermelho, desde quando Shigeru Miyamoto colocou ele sobre a cabeça de Jumpman pela primeira vez em 1981. De lá até aqui, a única coisa que realmente mudou foi o desempenho gráfico dos jogos e a letra “M” — incorporada junto à cor vermelha para designar Mario e distinguí-lo de seu irmão gêmeo Luigi. Em Super Mario Odyssey, o chapéu ganhou vida, e não será apenas um elemento icônico de caracterização: Cappy é tão protagonista durante a jornada quanto seu próprio dono.

It’s-a-me, (Frog) Mario!
It’s-a Me, (Frog) Mario!

Ah, se meu chapéu falasse…

Cappy apareceu com seus olhinhos brilhantes nos últimos segundos do primeiro trailer de Super Mario Odyssey, que foi mostrado durante a apresentação do Switch em janeiro de 2017. Nesta oportunidade, pudemos perceber que Cappy serviria de plataforma para Mario, podendo conectar dois lugares mais distantes ou até mesmo impulsionar o bigodudo para alcançar um local mais alto do que aquele que se encontra. É bem interessante ver essa mudança que nos permite posicionar plataformas onde quisermos, o que acaba instigando mais nossa curiosidade durante a busca por colecionáveis.

No segundo trailer, revelado durante a E3 2017, Cappy apareceu logo no início do trailer na cabeça de um dinossauro, dando indícios de que algo diferente estava por vir. O chapéu apareceu rodopiando ao redor de Mario e interagindo com elementos de cenário, algo semelhante à funcionalidade do Wii Remote quando apontado para a tela em Super Mario Galaxy Super Mario Galaxy 2. Cappy se tornou, aos poucos, uma extensão do corpo e das habilidades de seu dono, em uma harmonia rítmica quase perfeita.

Hora de capturar!
Hora de capturar!

Além disso, Mario apareceu vestindo um sombrero colorido, uma cartola branca, um chapéu de safari, como em Mario’s Picross, um toque blanche — popularmente conhecido como chapéu de cozinheiro — diretamente de Yoshi’s Cookie, um snorkel de mergulhador, um capacete de futebol americano e até vestes que homenageiam o controverso NES Open Tournament Golf, jogo que completou 30 este ano. O tradicional chapéu vermelho, que era um símbolo imutável, se tornou totalmente customizável e adaptável. Seja qual for a origem, forma ou cor, a relação entre Mario e Cappy é de se tirar o chapéu, literalmente.

2017: uma odisseia com Cappy

Após dezenas de jogos com power-ups, chegou a hora de abandonar esses itens que nos concedem habilidades temporárias. Cappy agora é arremessado em direção a inimigos, personagens ou objetos interativos, capturando-os e permitindo que Mario utilize suas habilidades específicas, sejam elas de movimento, pulo, extensão, disparo, etc. A escolha de designde substituir uma mecânica tão sólida por algo diferente deve ter sido inicialmente duvidosa, mas, pensando bem, foi excelente para fortalecer o companheirismo entre o chapéu e seu fiel dono.

Além de ser uma adição mecânica revolucionária, Cappy e sua irmã Tiara são tão protagonistas quanto os velhos conhecidos Mario e Princesa Peach — algo que é deixado claro logo nos primeiros minutos da nova aventura do bigodudo. O papel de Cappy na narrativa é fundamental, e isso se torna ainda mais notável com o progresso narrativo — que se inicia com Cappy salvando Mario e seu chapéu que fora destruído por Bowser durante um confronto.

Uma jornada em busca de pessoas queridas tanto para o bigodudo como para o simpático chapéu.
Uma jornada em busca de pessoas queridas tanto para o bigodudo como para o simpático chapéu.

Mario nunca esteve sozinho, pois sempre contou com a ajuda de muitos amigos e até rivais em suas aventuras, mas também nunca esteve tão próximo e nunca foi tão dependente de algo ou alguém quanto de Cappy. Mas não se engane: Cappy também depende de Mario, e é essa relação tão amigável que tornam seus destinos cruzados uma inesquecível odisseia.

Comentários: