REVIEW | RUINER vai desafiar suas habilidades

Mais uma vez o dedo mágico da Devolver para escolher bons projetos rendeu bons frutos.

O estilo Cyberpunk está em alta, e a Devolver Digital decidiu investir em um projeto da Reikon Games e trouxe RUINER para o Nintendo Switch. Um jogo que vai desafiar todas as suas habilidades com seu gameplay totalmente assimétrico e complexo, mas que faz jus à proposta de sua história.

Logo no começo do jogo você se vê no controle de um personagem que, entre idas e vindas de uma conexão muito ruim com um superior que o concede ordens, deve obedecê-las para alcançar um objetivo específico. É o jogo, de forma bem inteligente, oferecendo um tutorial ao jogador, afinal de contas ele terá muito o que aprender, ao mesmo tempo em que já te joga no meio da ação.

Estas ordens, portanto, vão te ensinando o básico [o intermediário e o avançado] do jogo. Você aprende a atirar, trocar armas, se defender, utilizar o escudo, se esquivar dos inimigos, e a controlar uma habilidade de dash que será de extrema importância para sua sobrevivência durante essa jornada sangrenta. O dash permite que o tempo pare por uma fração de segundos e você possa posicionar seu personagem exatamente onde você precisa para atacar alguns inimigos.

E é exatamente aí que o jogo vai exigir tudo o que você tem e um pouco mais. Parece extremamente prazeroso e fácil com essa descrição “parar o tempo por um milésimo de segundo e posicionar seu personagem etc etc”, mas é bem mais complicado e frenético do que parece.

Porque apesar da história envolta em mistérios, visual incrível e personagens interessantes, é no gameplay que o jogo se destaca. Você controla a direção que o personagem irá andar com o direcional direito, e o movimenta com o esquerdo. Isso é comum em muitos jogos de ambientação 3D, e é um estilo de controle fácil de se habituar. Mas em RUINER, esse tipo de movimentação deve ser feita em um jogo com perspectiva top-down.

E é aí que o “bicho pega”, porque além de ser bastante vertiginoso, com a mistura do estilo de controle com todos os estímulos visuais dos cenários, é bem desafiador ter um controle total do personagem, e executar as dezenas de comandos que você vai aprender, com a variedade de armas que aparecem à sua disposição.

Enquanto você anda pelo cenário, está tudo bem em ficar fora de controle, andar de costas, de lado, porque você ainda não se habituou a direcionar o personagem por ruas fechadas e cheias de itens e NPCs. Mas durante as batalhas, qualquer erro vai custar a vida do seu personagem, e você se vê obrigado a aceitar o desafio proposto pelos desenvolvedores e dominar totalmente os controles do game.

Você começa o jogo no controle de um personagem que os outros personagens chamam de Puppy, e recebe ordens de uma entidade misteriosa que se auto-intitula de Wizard, e deve encontrar e eliminar o Boss. Durante sua aventura pela cidade de Rengkok, você vai descobrindo todas as camadas por trás desse personagem que você está controlando, e porque ele aceita as ordens desses superiores que normalmente consistem em eliminar figuras poderosas da metrópole.

E nem sempre de combate vai viver seu personagem. Você tem que explorar as ruas da cidade, conversar com personagens, hackear portas para conseguir acesso a alguns lugares, procurar armas e itens que vão ajudar na sua progressão, e algumas vezes fazer tudo isso ao mesmo tempo enquanto tem que eliminar hordas de inimigos que não param de aparecer [e eu não estava brincando quando disse: DOMINE OS CONTROLES].

O jogo tem um estilo visual único, com destaque de cores quentes, que combina com seu visual frenético e com a estética cyberpunk de seus cenários e personagens. As músicas podem não ser inesquecíveis e/ou ficar na sua cabeça além do gameplay, mas são pontuais em acompanhar e dar vida às batalhas, que são mais frequentes do que você talvez precise de tempo para pegar um fôlego.

Não sei se eu chamaria o game de difícil, mas sim de desafiador, porque ele te dá a oportunidade de aprender ao mesmo tempo em que te desafia a dominá-lo. Existe uma relação de controle que o jogo possui sobre o jogador no início, e deu desafio é virar essa situação, e chegar ao final com você tendo controle sobre ele. E essa oportunidade é oferecida de forma inteligente e eficiente a todos que tentarem se aventurar por RUINER.

Mais uma vez o dedo mágico da Devolver para escolher bons projetos rendeu bons frutos.

Esta análise foi feita com código gentilmente cedido pela Devolver Digital.